ANDRÉ FRATESCHI - MAXIMALISTA      'CD2''     PAC      ''BRA''

Duplo clique para aumentar imagem

Reduzir
Aumentar

Mais Imagens

ANDRÉ FRATESCHI - MAXIMALISTA 'CD2'' PAC ''BRA''

Seja o primeiro a avaliar este produto

R$36,00

Sem estoque :(

LADO A

Maximalista – um riff de guitarra que poderia ter saído de um álbum solo de Keith Richards dá a introdução a uma canção que remete ao dia-a-dia do homem moderno. Urbano, enfumaçado, cheio de remédios e plugado no mundo. E sorrindo o tempo todo.

Todo Homem é uma Ilha – Com uma introdução “desmembrada” de Hawaii 5-O de Morton Stevens, que remete a frustação do paulistano de se locomover em nossa metrópole. Afinal, quem nunca ficou cercado por tubacarrões e moto-piranhas?

Outra Segunda – Uma das minhas preferias. Singela, mas com uma “energia rock´n´roll” encruada de dar medo.

Meta Fugida – Se esse álbum levou 40 anos para ficar pronto, essa canção foi escrita em algum momento nos anos 80. Melancólica, e com letras escritas em alguma antiga olivetti.

Eu Não Tenho Saco – caso eu não soubesse que se travava de um disco do André, poderia jurar que era o Paulo Miklos cantando. Breve momento de fúria registrado no disco, com um arranjo de teclados primoroso.

A Máquina Preenche – não sei porque a guitarra me lembrou Daniel Ash, mas lembrei. Música sobre zumbis, que ficam na frente das telas da TV e Computadores, sem pensar por sí mesmos, vivendo outras vidas.

Queda – Uma das comerciais do disco. Caso estivéssemos na época do “Globo de Ouro”, essa seria destaque na programação global. Mas não se engane, é uma das baladas mais paulistanas.

Tudo Vai Dar Tempo – Linda canção, com arranjos primorosos. Com certeza se Bowie escutasse, daria uma tapinha nas costas do André e diria: “- Aprendeu o catecismo garoto! ”

SP, Berlin – Não conseguia encontrar adjetivos para essa canção, demorou mas achei: “-fudida”. Com tantas referências, não podia faltar a Berlin de Lou Reed.

É Tudo Nosso – os primeiros acordes lembram os bons tempos de Barão & Cazuza, mas a “veia” Bowie fala mais alto. Ótima canção.



LADO B – o mais pesado e obscuro.

Isso é Coisa Pra Homem – Poderosa, inteligente, teatral, quase que vinda de um disco do Zappa dos anos 70, outra das minhas preferidas. Força rock´n´roll pra mostrar como nós homens somos frágeis.

Sou Eu Que Sou Isso Aqui – O que é essa bateria do Luis André Gigante? Quebra tudo! “Eu sou roqueiro, Aqui não tem coqueiro”, já resume tudo.

Turma do Bem – Nesses tempos conturbados da política de nosso país, eu juro que estava balançado. Mas essa canção me salvou. “Gente de berço que assina Veja e vive de juros e carrega o terço”. Valeu André.

O Gosto da Raiva – Porrada. Funciona muito bem ao vivo.

Soul Searching – composta e executada por Mike Garson. Tecladista que trabalhou com David Bowie, Nine Inch Nails e The Smashing Pumpkins. Além de participar em algumas das canções já citadas. Sem mais.

Detalhes

Dos palcos da Rua Augusta para o resto do país, André Frateschi experimentou com covers de David Bowie e, depois, ao lado de Miranda Kassin, fez homenagem ao indie nacional com o disco Hits do Underground. Em agosto, ele dará um passo enorme na carreira autoral com o lançamento do álbum Maximalista. O Sobe o Som mostra pela primeira vez a faixa-título e primeiro single do disco, que pode ser ouvida abaixo. A música estará no repertório percorrido por Frateschi ao longo da estreia do trabalho nos palcos, que será realizada no Sesc Pompeia, nesta quinta-feira, 26. Outras músicas como “SP Berlim”, “É Tudo Nosso”, “O Gosto da Raiva”, “Eu Não Tenho Saco” e “Todo Homem é uma Ilha”, também desta nova leva, serão apresentadas durante o show. Em Hits do Underground, Frateschi trabalhou com Plínio Profeta. Para Maximinimalista, ele chamou Fábio Pinczowski e Mauro Motoki, dupla que já trabalhou em discos de Faria & Mori, Esquema Apê, entre outros da cena indie paulistana. O álbum duplo terá 15 músicas e a capa foi desenhada por Fábio Moon, que ao lado do parceiro Gabriel Bá venceu o Eisner, prêmio considerado o Oscar dos quadrinhos . Em comunicado, Frateschi diz que faixa-título “define o cidadão multifuncional” ou, no caso, “nós, urbanoides, que dividimos nossa atenção em mil e seguimos em frente sem perceber a vida passando”. “A música trata da visão desse atormentado sobre nossa condição humana nessa década de 2010”, completa ele.

Informação Adicional

Artista ANDRÉ FRATESCHI
Formato da Mídia CD
Gravadora INDEPENDENTE
Origem BRASIL
Nº de Faixas 15
Código Identificador (SKU) 7892860232102

Comentários do Cliente

Queremos saber sua opinião

Apenas usuários registrados podem comentar. Por favor, identifique-se ou cadastre-se

Tags do Produto

Use espaços para separar as tags. E aspas simples (') para frases.